Blog

Reflexões no meio empresarial!

O que fazer quando o seu chefe, quem deveria ser o líder, simplesmente se afasta da liderança, ou não toma iniciativa de resolver ou indicar soluções para um problema na empresa? Alegando que o mesmo quem deveria fazer era você? O que fazer quando no seu trabalho  há colegas que delegam a execução de uma tarefa para você simplesmente por comodismo, preguiça ou incompetência?
     Competência, um tema muito debatido no meio empresarial, e agora também, no meio educacional. Me permita a ousadia, muitas questões da Pedagogia, permeiam facilmente o universo empresarial, no que diz respeito desde relacionamentos entre profissionais quanto gerir competências na solução de problemas ou questões do trabalho.
     Tanto o professor na Escola, quanto o trabalhador na empresa, necessitam de competências para conduzir a execução que se destina seu trabalho.
     Voltando a questão acima, onde questiono sobre omissão na empresa por parte de superiores, acredito e reconheço que o profissional subordinado sofre e muito com essas ineficiências momentâneas. O líder que não se faz uso da liderança e deixa sua função ser arrastada pelo seu status que ocupa, causa não só danos no convívio da empresa como prejudica o andamento da mesma. Quando se trata de uma empresa particular, sabemos que um péssimo chefe pode ser demitido com mais agilidade, e agora quando se trata de um cargo público nomeado? Em que por algum motivo aquele superior estará ali por conveniência política até o final do mandato do Prefeito, Governador ou Presidente?
     Permita-me partilhar de uma experiência, e que esta irá gerar uma orientação: não parta para o embate frontal com o chefe que não entende nem o que está fazendo naquela cadeira de superior. Tente evitar a briga. Discussões, falatórios em demasia irão desgastar sua imagem. Proteja sua imagem. Tente criar meios para que ele, o seu chefe, perceba que está faltando ação da parte dele. Mantenha sua função em dia. Não use a incompetência dos colegas como desculpa para sua insubordinação.
     Perrenoud, um grande epistemólogo da área da Educação, conceitua competência da seguinte maneira: “capacidade de mobilizar diversos recursos cognitivos para enfrentar um tipo de situação”. (PERRENOUD, 200, p. 15). Entre outras palavras, não há regras ou receita para evitar o estresse no trabalho diante de uma situação dessas. Mas traga sempre viva em sua mente que você é sua carreira, e não vale a pena ou não compensa prejudicá-la por alguém que não consegue entender o que é competência. Ou não tem noção dela. Seja onde estiver, seja o criador da sua carreira, faça a sua própria gestão dela, construa, mude sempre pra melhor, invista em você. E perceberá com certeza que não é cargo, status empresarial ou função que faz alguém bem sucedido, mas o quanto você consegue usar competentemente as situações a seu favor.
     E acredite, são exemplos da vida empresarial e pessoal que tem me ensinado isso, além da base teórica é claro. Um abração e até o próximo texto.